Dar certo na vida já é por si só um grande desafio, quando se fala em superar obstáculos, dificuldades e armadilhas pelo meio do caminho, o esforço deve ser redobrado e as vezes, parece que nossas forças se esvaem com tamanho empenho, é aí que precisamos exercitar a principal máquina, que faz tudo acontecer e que pode fazer tudo acabar: O cérebro!

Dar certo na vida já é por si só um grande desafio, quando se fala em superar obstáculos, dificuldades e armadilhas pelo meio do caminho, o esforço deve ser redobrado e as vezes, parece que nossas forças se esvaem com tamanho empenho, é aí que precisamos exercitar a principal máquina, que faz tudo acontecer e que pode fazer tudo acabar: O cérebro!

Tudo o que queremos realizar na vida começa com um sonho, uma ideia, mas é abstrato e parece muito distante de se conquistar até que passamos para uma segunda fase: o planejamento. Ao rabiscar essa ideia começamos a tangibilizar e dar forma ao que antes era só uma imagem, linda, porém, frágil e inconsistente.

Após desenhar o projeto, vem o terceiro desafio: colocar em prática as ações definidas passo-a-passo, é aí que começam as dificuldades, porque nos planos, tudo ocorre maravilhosamente bem, tudo dá certo, tudo é possível, nada pode dar errado, até ser colocado em prática, é quando nos deparamos com as incontáveis dificuldades e obstáculos.

É nesse momento que precisamos ter muito equilíbrio e cuidar principalmente da saúde física, espiritual (não me refiro necessariamente a uma religião) e emocional, pois uma mente enfraquecida é uma porta aberta para ideias derrotistas, como: o medo, sobretudo da crítica e da rejeição; o sentimento de culpa; crenças limitantes, como: eu não posso, eu não nasci pra isso, eu não merecia passar por isso, eu sou um fracasso mesmo; e toda sorte de ideias que podem colocar em risco o seu projeto.

Diante desse cenário interno, vem um forte desejo de jogar tudo pro alto, de abandonar um sonho e fazer qualquer outra coisa, só que ao fazer isso, alivia-se a dor, porém, corre-se o risco de cair num vazio existencial por não estar fazendo algo do qual realmente acredite, ame e que, certamente, agregaria valor a humanidade preenchendo sua vida de significado.

Entenda por significado, tudo aquilo que agrega valor substancial a sua vida, para encontra-lo, responda as seguintes perguntas, inicialmente para você mesmo, em seguida, pode escrever ou, caso se sinta mais a vontade, compartilhe com alguém que você ame e confie:

1)    Qual a sua visão de futuro? (Evite frases prontas e de efeito, não queira impressionar ninguém, apenas feche os olhos e descreva como você estará vivendo pelos próximos um, cinco e dez anos).

2)    Em quem você pretende se tornar? Como você quer ser reconhecido pelas pessoas mais próximas na família, no trabalho, na sociedade?

3)    O que você está fazendo hoje para se tornar quem você deseja ser no futuro? Suas ações estão alinhadas com a pessoa que pretende ser no futuro?

4)    Que legado você estará deixando para as futuras gerações?

5)    Como você será lembrado quando você não estiver mais por aqui? O que dirão a respeito da sua postura ante os desafios?

Toda grande realização vem precedida de muita dificuldade, de muito erro, de muitos pequenos fracassos, mas desistir seria a melhor alternativa? Desistir de um sonho não é certo, não é justo, não é divino, seria talvez o caminho mais fácil para evitar a dor, só não podemos esquecer que ela vai nos acompanhar de qualquer maneira, seja para a vitória, seja para a derrota, não importa. A dor faz parte do crescimento!

A grande diferença é que DESISTIR, te conduz a uma dor perene, interminável e incurável, dói na alma, é a dor do arrependimento, da culpa por não ter insistido mais, por não ter andado o quilômetro extra, por não ter ido além. E ninguém merece conviver com esse peso pelo resto da vida!

Diante de tudo o que expus aqui, se eu pudesse dizer humildemente algo relevante pra você, caro leitor, seria: – Por favor, não desista dos seus sonhos, dos seus projetos, da sua vida! Seria uma tragédia pra humanidade. Entenda que sempre tem um caminho, uma alternativa, uma possibilidade diferente!

Veja quantos exemplos e sonhos realizados, que, se fossem desfeitos, seria uma tragédia: Os Beatles não teriam existido, o Cafu não teria sido capitão do Penta, a seleção brasileira de vôley ainda estaria amargando a medalha de prata, a Apple não seria a marca de tecnologia mais valiosa do mercado.

fonte: http://www.administradores.com.br/artigos/cotidiano/desistir-nao-e-a-melhor-saida/99109/

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial