Artigo para trazer informações financeiras sobre alguns produtos vilões que as instituições financeiras “empurram” para as pessoas e ajudar as pessoas a organizar suas dívidas e passar a poupar pelo menos 10% do seu salário por mês.

Seis em cada dez famílias brasileiras estão endividadas, segundo pesquisa do CNC. E para piorar 17,9% das famílias brasileiras estão com estas dívidas em atraso.

O principal vilão das dívidas e dos atrasos é o Cartão de Crédito representando 75% destas dívidas.

Mas o que isso significa? Que devemos elimina-lo? Que devemos cortar nossos cartões de crédito e voltar a usar dinheiro em espécie?

 

Quer aprender a solução?

Aqui o link para você descobrir como organizar suas finanças, saindo das dívidas e passando a poupar, pelo menos, 10% do seu salário, todos os meses.

Link: http://organizadorfinanceiro.com.br/

 

A verdade sobre este mito que anda endividando muitas pessoas

Não aceite limite de crédito maior que sua capacidade de pagamento em curto prazo, ou seja, se você utilizar todo o limite e não conseguir pagar a fatura em um mês ou não conseguir quitar seu saldo devedor dentro de três meses, ou mesmo, parcelar seu limite em até 12 meses. Então este limite é superior a sua capacidade.

Não dobre a utilização do cartão de crédito, utilizando ele e ainda saque seu salário.

O cartão de crédito pode ser usado de duas maneiras:

1 – Emergência: você pode ter o cartão somente para realizar compras de última hora, ou para conseguir descontos em sites de compras (que normalmente superam os descontos que as lojas pode lhe oferecer);

2 – Controle de gastos familiar: pode-se usar o cartão de crédito como única forma de controlar seus gastos, ou seja, não realizando compras parceladas, somente no crédito à vista para que você pague no recebimento do próximo salário. ATENÇÃO AQUI, pois você precisa focar em utilizar somente o cartão e não duplicar os gastos, lembre, é uma forma de controle e não de ter mais dinheiro para gastar.

Muitos já estão afundados no cartão de crédito ou pagando o mínimo da fatura.

Para quem não sabe, pagando o mínimo da fatura do cartão de crédito vai lhe render pagamento de encargos (rotativo), em muitos casos muito superior ao cheque especial (limite de conta).

Por isso nunca deixe de pagar o valor total da sua fatura, pois de que adiantou você economizar na Black Friday, por exemplo, para depois pagar juros à sua Instituição Financeira ou bandeira de cartão.

Aqui entra outra informação muito importante:

Pesquise muito bem antes de abrir conta em qualquer instituição financeira ou pesquise se a sua instituição é a com menores taxas do mercado. Mesmo que você tenha conta a mais de 10 anos, não vai adiantar de nada no momento de aperto e os juros vão lhe custar muito caro.

Mas, o que pesquisar? Como pesquisar?

Temos algumas maneiras de fazer esta pesquisa.

No site do Banco Central (BACEN) eles apresentam as taxas padrões de tarifas de conta corrente, juros de cheque especial e tarifas de cartão de crédito.

Isso não isenta você de questionar seu ou seu futuro gerente de conta sobre o juros reais do cheque especial (cheque especial + IOF) e também sobre possibilidade de utilização com alguns dias de prazo para começar a cobrar. E os juros do cartão de crédito, que podem ser dois, rotativo (quando você não paga o total da fatura possui um juros sobre o valor que deixou de pagar) e o juros de inadimplência (período que você deixou de pagar ou pagou com atraso a fatura).

Levando estas informações em conta é possível escolher qual a melhor instituição para você deixar seu dinheiro e receber seu salário.

Você pode pensar assim, “mas por que eu preciso sabe destas informações? Se o foco aqui é organizar as finanças e começar a poupar”.

Explico, é necessário estar pronto para caso ocorra uma emergência, para que não precise pagar muitos juros às Instituições Financeiras, pois já pensou se você estiver em um momento de dificuldade, por exemplo, seu carro estragou este mês, foi preciso trocar o gás, seu filho precisa comprar os materiais escolares para o ano letivo, o que você vai fazer?

Neste caso, o melhor seria ter um bom limite do cartão de crédito disponível para consertar o carro e comprar os materiais gerando assim um prazo para realizar o pagamento e pagar o gás à vista. Mas para quem não conseguir fazer isso, a salvação pode estar no limite de cheque especial (que não tem problema alguma utilizar como emergência).

Neste exato momento que você vai procurar seu gerente de conta para ver quanto que vai dar de juros se usar “Y” valor por “X” tempo. É agora que você vai valorizar aquele limite de cheque especial que ele te disponibilizou com “X” dias de prazo sem cobrança de juros.

 

Mas e se suas dívidas são de empréstimos e financiamentos

A primeira coisa a se fazer é buscar a informação de quantas parcelas faltam você pagar e se estas parcelas representam no máximo 30% da sua receita líquida.

Caso seja superior, junte tudo o que possui em aberto, cartão de crédito, cheque especial, empréstimos pessoais, financiamento de veículo em uma única parcela e que representa somente 30% da sua renda líquida.

Caso precise juntar tudo, não aceita a primeira oferta da instituição financeira, e se possível pesquisa em mais de uma instituição, pois nestes casos, os juros tendem a subir.

E sabe porque os juros sobem??

Porque as instituições não tem o menor interesse em fazer esse tipo de operação, pois se você manter o que possui em aberto e pagar com atrasos vai estar lhes dando um alto valor de juros de inadimplência.

Então vamos fazer um exemplo aqui:

Se você paga:

– 11% ao mês no cheque especial;

– 3% ao mês no financiamento;

– 11% ao mês no cartão de crédito;

Atrasando estas operações vai pagar os juros de inadimplência, vamos dizer que seja de pelo menos o valor dos juros normais.

Agora se você juntar tudo isso em uma nova operação para parcelar tudo, vão te propor um juros de aproximadamente 5% ao mês, que não é ruim, mas que poderia ser muito melhor.

Se você analisar, o valor maior, provavelmente vem do financiamento e ele vai sair desta taxa de 3% e vai subir, sendo assim, passando a pagar mais juros.

Então ao barganhar é possível reduzir estes juros a menos de 4% ao mês e assim parar de pagar juros e começar a reduzir de vez seu saldo devedor.

 

Como economizar de verdade

AQUI A VERDADE sobre a verdadeira forma de economizar e organizar suas finanças, tanto pessoais quanto familiar.

1º passo: saber para onde vai seu dinheiro. Você deve conhecer suas despesas para poder avaliar quais são realmente necessárias e quais estão um percentual muito alto de suas receitas.

Para isso deve-se anotar TUDO, mas TUDO o que você gasta, pode ser um ticket de estacionamento até um jantar, ou mesmo as parcelas que debitam direto da sua conta ou que são empréstimo consignado e que você acaba nem notando os descontos que lhe geram.

Mas e o que fazer com estas anotações ou notas guardadas?

Lançar em uma planilha ou em uma folha. Aqui não existe fórmula mágica. Muitas pessoas vão dizer “mas de novo esse papo de planilha para controlar gastos”, e eu vou te dizer, é a maneira mais eficaz de resolver este problema recorrente na vida de todas as pessoas, que é o descontrole financeiro…

…segundo levantamento do SPC Brasil, 46% dos brasileiros não se preocupam em equilibrar o seu orçamento (pessoal e/ou familiar).

Você deve anotar tudo o que teve de gastos no mês atual, já verificando o que ocorre todos os meses, para já poder aproveitar e lançar uma previsão de gastos para o próximo mês. Agora entra a importância de saber qual o prazo que você tem para fazer o pagamento das compras parceladas que possui (lojas, financiamentos, seguros, empréstimos em bancos ou com familiares, empréstimo consignado, etc.).

Assim, com o controle do que você gastou em um mês, e sabendo o prazo das contas que possui, fica mais fácil poder se organizar para o que estiver planejando (férias, compra de carro, casa, apartamento, festa de formatura, poupança, aposentadoria…).

2º passo: com tudo anotado, faça a análise destes gastos que possui. Verifique o que pode ser eliminado, ou que estará vencendo em “X” meses e assim vai te trazer um alivio.

O importante aqui é o controle que você passará a ter sobre suas finanças, pois agora você não precisa mais ter uma ideia de quanto gasta por mês, ou que provavelmente poderá comprar um carro porque os carnes de lojas estão acabando, ou que o cartão de crédito termina em poucos meses.

Agora você sabe o prazo exato para reduzir suas despesas, e não vai querer ver a soma no final entre total de Receitas – Total de Despesas = NEGATIVO.

Análise o que você gastou no primeiro mês, que foi o mês de juntar as informações e que você não tem necessidade de ter gasto e elimine.

Nunca mais compre alguma coisa sem pensar no impacto que isso vai lhe trazer ou nos meses que você vai ver aquela compra por impulso.

Compras por impulso acabam com qualquer controle financeiro.

3º passo: agora faça a previsão para 12 meses, tanto de ganhos quanto de despesas. Assim você pode já prever o que vai fazer com seu 13º salário, ou se você possui alguma bonificação semestral, pode parar de programar e começar a guardar todo o valor dela.

Se você prever que seus ganhos precisam aumentar porque as despesas não reduzem de jeito nenhum, existe um ALERTA nas suas finanças.

Mas para tudo existe solução. Por sorte hoje existem diversos empregos informais e fora de hora no Brasil, tanto como horista como em festas noturnas. Empregos que podem trazer algum ganho extra. Mas lembra, são temporários, até que você consiga organizar suas dívidas ou que consiga comprar algo que está pretendendo. E ainda…

Nunca fazer horas extras será a solução para os problemas.

4º passo: com as dívidas organizadas, e as receitas em dia é hora de pensar em economia. Analise seus ganhos e suas despesas para avaliar o que mais pode estar fora de ordem. Analisando estes fatores é possível perceber agora qual é o seu custo fixo real.

Partindo deste conceito, quero te mostrar quanto que deve passar a guardar para saber se suas finanças estão realmente equilibradas.

Reserve no mínimo 10% do seu salário líquido para investir, pode ser em poupança ou em algum outro tipo de aplicação financeira (partindo de R$30,00 é possível investir no Tesouro Direto, mas isso explico mais em meu ebook).

Esses investimentos são necessários por pelo menos 6 meses consecutivos. Fazendo isso, agora é possível fazer a análise de realizar outros tipos de investimentos ou algumas compras específicas, mas não esqueça, pelo menos 6 meses.

O ideal é você ter em algum produto, por exemplo poupança, seu custo de vida para 12 meses, para que em caso de alguma emergência você não seja pego desprevenido.

5º passo: pensando na aposentadoria.

Você já parou para pensar em como será sua aposentadoria???

E a que conclusão chegou???

Não muito boa né?! Pelo menos é a perspectiva que temos nos dias atuais.

E tenho uma coisa a dizer para você, você está certo. Não vai ser nada bom.

Mas como se precaver disto?

Depois de ter 12 meses do seu custo de vida guardado em algum investimento que lhe de liquidez diária, é a hora de começar a guardar para a aposentadoria.

Neste caso, nada melhor do que uma previdência privada. Muitos especialistas dizem que a previdência não é um bom produto, mas eu posso afirmar que é sim. Trago mais informações sobre ela no meu ebook.

Mas para adiantar para você que está aqui lendo este artigo, posso dizer que temos no mercado financeiro alguns produtos que permite investimentos partindo de R$50,00, alguns menos e outros mais. A questão aqui é o prazo para saque, quanto antes você começar melhor, e quanto mais tiver para investir no começo melhor também.

Obs.: os investimentos podem começar a serem feitos mesmo que você possua algum crédito, ou que procurou seus credores para negociar as dívidas. Inclua na sua capacidade de pagamento estes investimento, assim pode até reduzir sua parcela de financiamentos, porem você nunca ficará inadimplente pois além de chegar a ter seu custo de vida para 1 ano aplicado, você começara a ter sua aposentadoria planejada.

E o que isso significa??

Que agora você parou de trabalhar para o seu dinheiro e ele começou a trabalhar para você, podendo até lhe trazer maior qualidade de vida.

“O melhor uso do capital não é fazer dinheiro, mas sim fazer dinheiro para melhorar a vida.”

Henry Ford

fonte: http://www.administradores.com.br/artigos/economia-e-financas/aprenda-como-pagar-dividas-e-poupar-pelo-menos-10-do-seu-salario-todo-mes/96885/

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial