São algumas pequenas mudanças de pensamento que poderão fazer toda a diferença

iStock

Chorar pelo leite derramado realmente funciona? E lamentar-se continuamente alegando que tudo é culpa da crise? Parece cômico, mas não é. Estudos indicam que quatro a cada dez vendedores não consegue vender mais por, justamente, alimentar o ciclo vicioso composto por não-venda, frustração e resultados pouco satisfatórios.

De acordo com a escritora Sonja Lyubomirsky, um dos nomes mais respeitados da psicologia internacional, a ideia de que “chorar faz bem” é enganosa. Mas, você sabe por que motivo? Simplesmente pelo fato de que a mente humana é formada por conexões que são criadas pela repetição de um determinado tipo de pensamento. Logo, para pensamentos negativos, resultados negativos.

Seria mais ou menos assim: quando um vendedor, em uma segunda-feira chuvosa, diz para si mesmo “hoje o dia vai ser bem ruim para vender” um novo pensamento subsequente se instala em seu psiquismo. Em poucos minutos, a probabilidade de outra ramificação pessimista inundar o cérebro eleva-se em alarmantes 52%!

Aí, você já viu: “esse cliente não me atende”, “estou insatisfeito nesta empresa”, “não sei o que fazer para gerar mais resultados”, começam a compor uma teia de queixa e ociosidade que minam toda e qualquer chance de chegar ao resultado que o seu chefe pediu e que você tanto quer alcançar.

Mas, calma! Nada está perdido. Como tudo nesta vida tem diferentes pontos de vista e múltiplas soluções, existem métodos cientificamente comprovados que atuam como “alavancas emocionais”. Da próxima vez que você começar o dia com o pé esquerdo, cinco técnicas ensinadas no livro “The Myths of Happiness”, de Sonja Lyubomirsky, podem ajudar a dar uma “guinada” no astral e maximizar as suas conquistas profissionais.

Se você pensa que é impossível vender para o seu segmento, por que não experimentar transformar suas cadeias de pensamento limitados em cenários completos, ainda pouco explorados? Ao invés de pensar dessa maneira, tente “isso é um desafio para mim. Irei encontrar formas inovadoras para conquistar o meu objetivo”.

Caso, depois de um dia de trabalho, venha a sua cabeça pensamentos do tipo, “meu resultado hoje foi baixo, estou desanimado e desestimulado” procure buscar pequenas vitórias para as demandas mais difíceis. Elas serão catalizadoras para a realização de grandes projetos. Tente “hoje eu não vendi muito, mas entrei em contato com muitos prospects de relevância para o sucesso desta atividade”. Você vai ver como fará a diferença.

Para quem acha que não é reconhecido pelo chefe e que não tem o devido valor como profissional, uma dica valiosa é diminuir as expectativas fantasiosas, transformando-as em fatos concretos. Ainda que você se sinta que está desvalorizado, elenque os benefícios que possui e perceba se eles não são um bom incentivo.

E, por fim, se você imagina que seria diferente se tivesse mais ferramentas de trabalho ou mais recursos, saia do papel de vítima e seja o protagonista da sua própria motivação e performance. Use as suas experiências para sair de onde está e chegar aonde pretende.

Como você pode perceber, são algumas pequenas mudanças de pensamento que poderão fazer toda a diferença, não apenas no seu dia a dia corporativo, mas também no seu relacionamento interpessoal.

*Lucas Diegues é diretor executivo da WA Marketing & Consultoria Comercial

fonte: http://www.administradores.com.br/noticias/carreira/4-tecnicas-indispensaveis-para-aumentar-a-sua-performance-de-vendas/119687/

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial